Casas pré fabricadas de betão – Vale a pena investir?

As casas pré-fabricadas de betão são agora a nova tendência do mercado imobiliário. Em Portugal, várias famílias consideram esta casa como uma boa alternativa às casas tradicionais. Além de ser uma opção bem mais económica, requer menos tempo de construção e são mais eficientes.

Mas isso não é tudo, estas casas são muito versáteis e podem ser modificadas de acordo com as necessidades e exigências do futuro proprietário. Assim, este tipo de construção dá-lhe a possibilidade de criar uma casa à sua medida.

Como são construídas as casas?

Este tipo de construção pode ser feita a partir de diferentes materiais. Por isso, antes de tomar uma decisão, deve ter em conta vários detalhes como o orçamento, qual a finalidade da propriedade, a localização e os custos de manutenção da estrutura.

Atualmente, as possibilidades de materiais são infinitas mas vamos concentrar-nos num dos materiais mais procurados para construir estas casas: o betão.

As casas de pré-fabricadas de betão são feitas a partir da construção de módulos unidos entre si. Estes módulos são criados em fábricas específicas e depois transportados para a obra.

Confira as Vantagens

Além da importância da parte estética, as casas de betão apresentam ainda inúmeras vantagens que tem vindo a conquistar a admiração e principalmente a curiosidade das pessoas.

  • A estrutura firme e sólida do betão torna a construção da casa muito resistente à passagem do tempo. Extremamente a catástrofes naturais como furacões ou terramotos. Graças a esta característica, a manutenção exigida por este tipo de habitação é mínima.
  • São construídas mais rapidamente do que as casas tradicionais, em média 70%.
  • A Eficiência Energética que estas casas permitem é também um ponto importante. Esta poupança reflecte-se no consumo de energia do proprietário a longo prazo.
  • O betão possui características próprias como: a resistência ao fogo, o bom isolamento acústico e inércia térmica.
  • A estrutura em betão oferece mais amplitude à casa.
  • Excelente relação qualidade-preço, uma vez que têm as mesmas características e funcionalidades que as casas tradicionais.
  • Construção adaptada de acordo com as necessidades e a economia dos futuros proprietários.

E o Preço?

Estes tipo de construção não tem um preço específico uma vez que o seu valor varia de muitos fatores conforme o projeto, as instalações, equipamento das estruturas e a dimensão da casa.

Desta forma, a sua funcionalidade permite-lhe criar uma casa maior e adicionar elementos como uma piscina ou outro quarto de acordo com as suas necessidades e possibilidades financeiras. Podemos mesmo dizer que pode ir acrescentando mais elementos à medida que o tempo passa.

Em Portugal

Cada vez mais as casas pré fabricadas de betão estão a ganhar protagonismo por parte dos portugueses. Veja aqui algumas casas pré fabricadas que pode encontrar em vários pontos do país.

Norges Hus

Casa pré fabricada T3 com 269 m². Preço: 96.900€ + IVA
Retirado do site Norges Hus
Casa pré fabricada com T2 com 87 m². Preço: 31.300€ + IVA
Retirado do site Norges Hus

Atlántida Homes

Casa pré fabricada T2 com 81 m². Preço: 139.084€ + IVA
Retirado do site Atlántida Homes

Cube Premium

Casa pré fabricada T5 com 300 m². Preço: 348.700 chave na mão
Retirado do site casas pré fabricadas cube

Em conclusão, a Housefy acredita que uma casa pré fabricada de betão é com certeza um ótimo investimento para a sua carteira e uma forma de pensar num futuro sustentável.

Truques para triunfar na busca por apartamentos baratos

Vai realizar o sonho da casa própria, mas não quer gastar todas as suas economias nele? Então resta-lhe a saga de buscar as opções de apartamentos baratos disponíveis no mercado. 

Acima de tudo, saiba que para encontrar imóveis económicos é preciso paciência. Isso porque não são apenas as características da habitação que ditam o valor final, mas também a influência da economia do país.

Portanto, para que não tome uma decisão no impulso, separamos algumas dicas para se ter em mente quando for buscar imóveis baratos.

 O que torna um imóvel barato

Localização 

Onde o apartamento está situado tem grande influência no valor final. Afinal, as zonas centrais possuem uma infraestrutura mais completa em termos de comércios e serviços. Por causa disso as habitações costumam ser mais valorizadas, por consequência, mais caras.

Uma opção é pesquisar imóveis em bairros mais afastados. Apesar de não estarem no centro, normalmente possuem fácil acesso a outras regiões da cidade e ótimos estabelecimentos locais para facilitar a rotina.   

Tamanho 

Quanto mais metros quadrados um apartamento tem, certamente maior será o seu valor. A saber, se o tamanho não é determinante para a sua escolha, considere pesquisar imóveis menores que se adequem ao seu bolso e às suas necessidades.

Com excelentes técnicas de design de interiores, mesmo que o imóvel seja pequeno, é possível distribuir os espaços para torná-lo funcional sem perder o conforto.

Garagem 

Está aí uma estrutura que encarece o imóvel. Nos casos em que o carro não é fundamental para a rotina, logo é melhor abrir mão de um apartamento com garagem. Assim, ampliam-se as possibilidades de encontrar opções mais baratas. 

Material

Os materiais usados são um fator importante no barateamento de uma construção. Ao usar recursos mais económicos, não significa que o proprietário empregou elementos de má qualidade. Há excelentes opções de azulejos, ladrilhos e saolhos mais baratos que dão um bom acabamento e reduzem o valor do imóvel.

Remodelação

Há apartamentos que necessitam de remodelação para tornarem-se habitáveis. Considere-os, pois, na negociação, é possível conseguir um bom desconto.

Porém, atente-se ao tipo de obra que terá de fazer. Se necessitar de reabilitação, por exemplo, uma troca de instalação elétrica, muito provavelmente sairá mais caro, o que acabará não compensando o investimento.

Como achar apartamentos baratos para comprar

1- Defina o orçamento

Primeiramente, defina o montante que investirá na compra. Pode até parecer uma dica banal, ainda assim, muitas pessoas não fazem um planeamento realista do quanto vão e podem gastar num apartamento.

Uma dica é basear-se no cálculo elaborado por pesquisadores do Lincoln Center Institute of Land Policy. De acordo com eles, o imóvel que está a adquirir deve valer de três a cinco vezes o que a pessoa ganha de salário por ano.

2- Faça pesquisas

Use plataformas imobiliárias, como a Housefy, para buscar apartamentos baratos que estão à venda. Os portais especializados possuem uma grande quantidade de imóveis, além disso, oferecem ferramentas de segmentação por tipologia, metros quadrados, entre outros. Também, fornecem filtros para otimizar a sua pesquisa, ou seja, pode ordenar para aparecer os resultados mais baratos primeiro.      

3- Considere imóveis na planta

Comprar apartamentos ainda em fase de construção pode reduzir bastante o valor total que pagará. Frente a um imóvel usado, a redução pode ser de 10% a 15%, segundo especialistas.

As vantagens deste tipo de investimento são variadas. Além da possibilidade de decorar a habitação segundo seus gostos, é ter a certeza de que, no momento de pegar chaves, o apartamento já estará mais valorizado do que quando assinou o contrato.  

4- Compre em leilões 

Nos leilões, há opções de imóveis em excelente estado e com preços abaixo do que é praticado em determinada região. Muitos dos apartamentos em leilão pertencem a bancos que, para vendê-los rápido, oferecem condições especiais.

Quero comprar o meu imóvel na Housefy com os melhores preços do mercado!

Casas Contentor- A alternativa ecológica

Hoje vamos falar de uma opção que está bastante em voga em vários países da Europa, nomeadamente, as casas contentor. Para quem procura uma casa económica e, à parte disso, pela necessidade e preocupação pela sustentabilidade ambiental, apresentamos as casas contentor.

Hoje em dia ter uma casa não é fácil, especialmente para os jovens que estão a começar a sua vida de adulto. Em Portugal, os salários e o preço das casas não estão ajustados face à bolha imobiliária sentida nas principais cidades.

Porquê viver numa casa contentor?

Estas casas oferecerem sobretudo conforto e são perfeitas para quem quer fazer um investimento para comprar uma casa de forma rápida e fácil.

Comecemos pelas vantagens

Roterdão, Holanda

Preço Atrativo

É sem dúvida uma opção mais barata do que construir do zero ou comprar uma casa, uma vez que já existe a estrutura. Afinal, só é necessário reabilitá-la para habitação e é você que possui a total liberdade para adaptá-la ao seu gosto.

Embora os preços possam variar, podemos encontrar contentores à venda a partir de 1000€. Pode optar por comprar um novo mas, além de ser mais caro, vai contra o propósito inicial do projeto.

Sustentabilidade Ambiental

Tanto para habitação como para fins comerciais, podemos poupar muito dinheiro, mas não só, podemos reciclar um contentor marítimo e dar-lhe outra oportunidade de vida. A verdade é que reduzimos a produção de outras matérias primas como, madeira ou tijolos e geramos menos desperdício ambiental.
Segundo o engenheiro naval Lyncoln Lemes, estima-se que haja a nível mundial mais de 24 milhões de contentores sem uso.

Estrutura Modular

Não precisa de se restringir a apenas uma estrutura. Atualmente, existem vários modelos com inúmeras opções de design para formar outras divisões mais amplas.

Construção Rápida e Fácil de Transportar

Para converter um contentor numa casa demora cerca de duas a três semanas. Uma vantagem para quem procura uma casa quase pronta a habitar. Além disso, é evidente a facilidade que é transportar estas casas pois já foram concebidas para esse fim.

Em Portugal

O Grupo Brasileiro Up! Containers estreia-se em Portugal com um condomínio exclusivo em Santo Estêvão, Santarém. O empreendimento Village das Laranjeiras é feito de casas contentor à prova de fogo e água, com um segmento alto de mercado a nível energético.

Fotografias retiradas do site villagedaslaranjeiras.com

“Sabemos que este é um mercado em crescimento, e que a nossa proposta diferenciadora de transformar contentores em habitações de luxo está totalmente por explorar em Portugal, ao contrário do resto da Europa, onde regista uma enorme expansão e sucesso” afirma Lyncolm Lemes ao jornal Expresso.

Construir uma casa, como poupar dinheiro? Confira as 7 dicas

Está a pensar em construir uma casa mas quer evitar esforços financeiros? Então este artigo é para si. Nós reunimos algumas dicas essenciais para que possa planear e construir a casa dos seus sonhos.

1. Planeamento Financeiro

Antes de mais, comece por planificar todas despesas da construção desde os pequenos pormenores e estabeleça um orçamento real. Para gerir melhor as suas finanças e poupar em gastos desnecessários, experimente utilizar uma aplicação financeira.

Aplicações Gratuitas

  • Money Lover
  • Spending Tracker
  • Boonzi
  • IOU

2. Contratação de Profissionais

Construir uma casa do zero é um grande desafio e sozinho não está preparado para enfrentar a complexidade deste projeto. Por isso, contratar um bom arquiteto é fundamental para ter uma construção eficiente de sucesso. Uma vez que possuem as suas próprias equipas de trabalho, todos os gastos da construção estão incluídos no orçamento.

3. Escolha de Materiais

Hoje em dia encontramos casas de todos os estilos, o segredo está sobretudo na visão e criatividade do arquiteto. Por isso, pode optar por utilizar materiais de qualidade e económicos como, por exemplo, a madeira, o betão ou tijolo.

Além disso, pense na futura sustentabilidade da casa. Alguns materiais sustentáveis podem, inicialmente, custar mais um pouco mas no final, feitas as contas, a poupança a longo prazo vai ser muito maior! Uma ideia inteligente e visionária: invista em lâmpadas LED, torneiras eficientes, alguns materiais recicláveis como vidro, entre outros. Ideias que valem a pena para deixar um impacto positivo no planeta e nas pessoas.

4. Cuidado com os Materiais

Durante o processo de construção, o desperdício de materiais torna-se comum e desnecessário para a sua carteira. Por isso, esteja atento a este pequeno pormenor- não deixar secar as tintas, arrumar os materiais no sítio para não se perder, entre outros.

5. Construção na Vertical

Ao priorizar uma construção de uma casa com dois ou mais andares, já está a poupar. Além de reduzir o dimensão do telhado, está a aproveitar apenas um espaço do terreno, isto porque a construção é em altura e não em comprimento. Este plano pode reduzir os custos até 15% do seu orçamento.

6. O Terreno

Primeiro de tudo, faça um projeto que se adapte ao tipo de terreno onde vai construir. É uma questão fundamental para resolver antes de construir uma casa porque, caso o terreno seja desnivelado, a escavação e os materiais necessários podem ter um custo elevado.

7. Casas Pré Fabricadas

Uma opção económica, rápida de construir e ecológica. Estas são as principais vantagens para investir numa casa pré fabricada. Em Portugal, existe já uma grande variedade de empresas construtoras que se dedicam a este tipo de imóvel e superam as expectativas de todos. Possui todo o conforto e bem estar de uma casa tradicional e a sua procura tem vindo a aumentar substancialmente.

  • Poupança em tempo
  • Poupança de mão de obra
  • Sustentabilidade ambiental

Acerca das casas pré fabricadas, veja o nosso artigo aqui e saiba se realmente pode ser uma boa opção para investir como futura casa.

Requisitos para vender uma casa em Portugal

Vender uma casa tem se tornado mais complicado ano após ano, afinal, a concorrência não é pequena! 

O processo de venda trata menos de sorte e muito mais de técnica. Entretanto, por técnica leia-se organização. Tenha em mente todos os requisitos para vender uma casa e faça com que o seu processo seja um sucesso.   

Os principais requisitos para vender uma casa em Portugal

1- Imobiliária vs. Particular

Ao optar por vender seu imóvel, há uma segunda grande decisão a se tomar. Em seguida, deve decidir se realizará todo o processo com auxílio de uma agência de mediação imobiliária ou se fará a venda de forma independente.  

No caso de optar por uma imobiliária, considere o acréscimo de uma comissão de 3% a 8% sobre o valor do imóvel. Só para exemplificar, a oferece o mesmo serviço que as imobiliárias tradicionais, mas cobra um valor fixo sobre a operação de venda. 

Já ao vender sozinho, lembre-se que todas as tarefas (captação dos interessados, estratégia de marketing, negociação e reunião dos documentos) ficará ao seu cargo. Por certo, para que tudo saia bem, deve concluir cada etapa com muita primazia.  

2- Documentos necessários

O seu processo de venda fluirá com leveza, com certeza. Só que para isso, antecipadamente, reúna todos documentos do imóvel e aqueles que o identificam como proprietário. Abaixo, reproduzimos uma lista das certidões obrigatórias e os respectivos órgãos que as emitem. 

Certidão de Registro Predial

Sob responsabilidade do Instituto dos Registos e do Notariado, trata-se de um documento que informa todos os registos feitos sobre o imóvel, inclusive aqueles pendentes. Possui validade de 6 meses e pode ser solicitado na plataforma Predial Online, com custo de 15€, ou presencialmente numa Conservatória do Registo Predial, pagando 20€.  

Caderneta Predial 

A Caderneta Predial, conhecida também como certidão matricial,  relata a situação fiscal do imóvel e traz outras informações como a localização, a descrição (ano, tipologia, orientação, etc.) e a identificação dos proprietários. É possível emiti-la gratuitamente no Portal das Finanças ou pessoalmente num balcão da Autoridade Tributária e Aduaneira O documento tem validade de 12 meses.

Licença de utilização

Trata-se do documento que descreve o tipo de utilização do imóvel, ou seja, se é para finalidade de habitação ou não habitacionais, além de atestar a segurança e a salubridade dele. Para emiti-lo, é necessário dirigir-se a uma Câmara Municipal da região do imóvel. Vale destacar que cada autarquia possui seu processo de emissão bem como seu preço.     

Planta do imóvel

A planta do imóvel é o documento que atesta a distribuição exacta do imóvel, com áreas bruta e útil, além de informar sobre garagem, arrecadação, etc. É possível emitir a planta do imóvel por meio de uma Câmara Municipal. Recorde-se que as plataformas imobiliárias pedem este documento para melhorar o desempenho online do imóvel.

Certificação energética

Obrigatório para a venda de imóveis, o certificado de eficiência energética indica o desempenho da energia numa escala de A+ (muito eficiente) e F (pouco eficiente). Assim o proprietário tem conhecimento das características do consumo naquele imóvel. O documento tem validade de 10 anos e é emitido por técnicos habilitados da Agência Nacional de Energia (ADENE). 

Ficha Técnica da Habitação (FTH)

Tal documento traz informações do projecto arquitetónico, características da obra e descreve alterações realizadas na construção do imóvel. Também cita os profissionais responsáveis pela obra, o loteamento e os materiais usados na construção. Ao final da obra, quem assina a certidão é o Promotor Imobiliário e o técnico responsável. Caso necessite de uma segunda via, deverá emiti-la na Câmara Municipal mediante o pagamento de uma taxa. 

3- Pense nas características 

Quem conhece o mercado imobiliário sabe. É de praxe que os compradores busquem informações sobre alguns mesmos detalhes. Entre eles, estão: orientação do imóvel para questões de luminosidade, distribuição de espaços, quantidade de metros quadrados e localização do imóvel. 

Portanto, reúna todas as características que valorizem o seu imóvel e destaque os pontos fortes quando receber interessados. Assim será mais simples convencê-los de que a sua casa é a melhor opção do mercado.

Agora que conhece os requisitos para vender uma casa, conte com a assessoria de especialistas imobiliários da Housefy para concretizar a operação!

Sites imobiliários em Portugal- A Miragem Imobiliária

Face ao desequilíbrio entre a oferta e procura imobiliária, sobretudo na capital, estamos perante uma verdadeira “caça” imobiliária, onde prevalece a lei do vale tudo. Na internet, é notório os sites imobiliários em Portugal que não consideram obrigatório a Licença de Habitação.

Desde lojas, oficinas, garagens a estabelecimentos comerciais, vários imóveis estão a ser convertidos, ilegalmente, em casas prontas a habitar. Esta é a nova tendência que se faz sentir em Lisboa e Porto.

Converter uma fração comercial para habitação

Nos sites imobiliários em Portugal, podemos encontrar várias oportunidades de negócio, totalmente remodelados e com valores abaixo do preço. Até então tudo bem mas qual é o principal problema?
Não é possível transformar um estabelecimento comercial para habitação sem uma licença.

Licença de Habitação

  • A maioria das pessoas não está a par da importância e indispensabilidade deste documento. Por isso, a posse deste documento determina a inspeção da casa e as condições de habitabilidade– designa o cumprimento de todas as condições legais exigíveis.

Desta forma, os sites imobiliários promovem anúncios de casas sem saber se estas possuem ou não licença. Além disso, há casos em que o próprio agente imobiliário desvaloriza o facto de não possuir o documento. A desculpa recai sobretudo no valor baixo da habitação e da lentidão burocrática por parte da Câmara Municipal. Assim, o comprador pouco informado dos procedimentos a ter, pode cair no engano de achar esta conversão simples de resolver.

Contudo, no ato da realização da escritura da suposta propriedade, é explicitado a informação sobre a que se destina o imóvel. Portanto, a lei recai sobre o nome em que está registada a propriedade e é dever do novo proprietário resolver a licença em falta.

Em caso de obras ilegais ou falta de licença habitacional, pode acabar com multas ou até mesmo com um despejo administrativo.

Procedimentos para converter uma fração comercial em habitação

Consoante o tipo de imóvel, começa por:

  • Ser aprovado pelo condomínio sobre a conversão do espaço para habitação.
  • Licença para obras de adaptação, no entanto, poderá ser necessário alguma licença prévia ou autorização da Câmara para prosseguir com a remodelação.
  • Inspeção oficial através da contratação de um técnico profissional que avalie o espaço e emita um parecer.
  • Reavaliação da habitação por causa do imposto.
  • Averbamento na Conservatória do Registo Predial
  • Após emitida a Licença de Habitação, proceder à alteração do contador de água, luz e gás para o uso doméstico.

Instituições financeiras e venda da fração comercial

Além da dificuldade da legalização dos espaços comerciais, é impossível fazer um crédito à habitação através dos bancos para este tipo de imóvel.

Para terminar esta dor de cabeça de uma vez por todas, se o comprador decidir vender o imóvel, é considerado ainda ilegal. Segundo a lei, não é possível vender um espaço comercial com obras ilegais e, muito menos, sem licença de habitação.

Em conclusão, antes de comprar um imóvel recorra sempre a uma consulta profissional. Na Housefy, disponibilizamos de informações exclusivas sobre o mercado imobiliário através dos nossos profissionais de serviço. Para qualquer dúvida ou esclarecimento, contacte com a Housefy.

Dicas para escolher a melhor agência imobiliária em Portugal

Na altura de vender casa, escolher a melhor agência imobiliária em Portugal para fechar negócio rapidamente, torna-se uma verdadeira dor de cabeça. Para isso, selecionamos as melhores dicas da Housefy para alcançar o sucesso!

Antes de entregar a casa à agência, faça uma breve pesquisa no Google sobre as suas referências

É importante analisar a reputação da empresa e averiguar em que posição se encontra no mercado imobiliário. Isto significa que, se apresentar uma boa visibilidade online, publicidade credível e bons antecedentes, torna-se uma potencial agência para investir.

É obrigatório ver se a imobiliária possui o registo de IMPIC

Graças ao registo Instituto dos Mercados Públicos do Imobiliário e da Construção (IMPIC), podemos garantir a confiança da agência. Este registo funciona como uma garantia para fiscalizar e controlar as empresas do setor da construção e do imobiliário. Assim, todas as suas dúvidas, em relação à credibilidade da empresa, ficam reduzidas.

Escolher o melhor agente imobiliário para o seu negócio

Experiência de mercado é a principal garantia de que possui melhores técnicas de negociação, compra, venda, avaliação de imóveis e de documentação. Por isso, escolha cuidadosamente o agente imobiliário que ficará responsável pela venda do seu imóvel. Só a experiência fará com que o profissional conheça realmente o mercado imobiliário e consiga extrair dele as melhores ofertas. Portanto, investigue bem sobre a sua capacidade de mediação.

Deve apresentar boa publicidade e uso de novas tecnologias

Atualmente, num mercado tão competitivo, é preciso recorrer a ferramentas tecnológicas inovadoras para publicitar nas melhores plataformas online. Averigue a visibilidade da imobiliária antes de colocar o imóvel à venda. Pode ainda revisar os comentários online sobre a empresa, ou então, perguntar informações a antigos clientes.

Transparência com os clientes

É essencial ter em conta que, apesar da comercialização de propriedades, as agências imobiliárias lidam com pessoas. Por esse motivo, a imobiliária deve ser sobretudo transparente, credível e correta ao prestar um serviço.

Honorários de agência imobiliária

Na hora de escolher a melhor agência imobiliária em Portugal, assegure-que esta pratica honorários justos conforme os custos associados à publicidade, visitas, documentação, entre outros. No final, não se esqueça de analisar o custo total do serviço e fazer o balanço das contas para confirmar se o negócio é rentável para si. Evite fazer esforços financeiros no final, prepare-se para o valor real das comissões de agências.

Como vender a casa sem pagar uma comissão elevada? Nos últimos anos, o modelo de negócio das imobiliárias tem vindo a alterar. Atualmente, existem já alternativas inovadoras de negócio, no sentido de favorecer os clientes – comprador e vendedor – sem abrir mão dos conselhos de profissionais.

Na Housefy oferecemos todo os serviço e assistência de uma agência imobiliária, sem custos variáveis de comissão. A única diferença dos modelos tradicionais de agência é que o proprietário encarrega-se de fazer as visitas, enquanto nós tratamos de todo o processo e encarregamo-nos de filtrar compradores.

Enquanto você paga 4%, ou 8.000 € , na venda de uma propriedade de 200.000 € com uma agência tradicional, na Housefy paga apenas 3990 € e só em caso de venda.

Casas modernas: conheça as características deste tipo de arquitetura

Tão desejada na atualidade, as casas modernas datam o início do século XX, quando arquitetos de diversas partes do mundo quebraram paradigmas do que, até então, era produzido em termos de habitação. Tais profissionais começaram a criar casas com ênfase sobretudo funcionalidade, ao mesmo tempo que conectavam os moradores à natureza. A partir desse momento, surgiu a integração da paisagem ao projecto arquitetónico. 

Charles Eames, Ludwig Mies van der Rohe e Lina Bo Bardi construíram casas modernas memoráveis e são nomes de destaque desta era arquitetónica marcada principalmente por planos abertos, assimetria e grandes janelas e portas. Um estilo que tornou-se intemporal e ainda hoje atrai admiradores pelo mundo graças à sua sofisticação e praticidade.

Antes de comprar uma casa moderna, confira algumas características deste tipo de projeto arquitetónico.

Características das casas modernas 

Um moradia de estilo moderno apresenta linhas e formatos únicos, sem adornos excessivos, e transmite uma sensação de inovação. Veja abaixo as principais características para identificar uma casa moderna. 

Espaços diáfano

Grande característica de casas modernas é o conceito de espaços iluminados, de preferência por luz natural. Trata-se de uma habitação especialmente construída para os residentes aproveitarem a luz solar.

Uso do vidro 

Nas portas, janelas, paredes ou fachadas, os vidros têm uma presença obrigatória em projetos de arquitetura moderna. Este material transmite leveza e, principalmente, proporciona uma boa iluminação ao espaço conforme referido acima.

Linha reta

Além disso, outra importante marca das casas modernas é o traço reto. Isso confere um toque elegante, sofisticado e imponente à casa. Inclusive, o formato geométrico oculta o telhado pela fachada, mais uma característica das casas modernistas. 

Integração dos ambientes

Do conceito das linhas retas, tem-se outro diferencial das casas modernas: a integração dos ambientes de maneira eficiente e criativa. Aqui, os espaços são abertos e descomplicados, isso significa que têm pouquíssimas divisórias.

Aliás, a integração não é apenas interna. Quando falamos de layout integrado significa também a interação do interior com o exterior, geralmente pelas grandes janelas que valorizam uma bela paisagem.

Presença da natureza

Nas moradas modernas, a paisagem tem um papel fundamental e, por isso, muitas residências trazem a natureza para dentro de casa por meio de um belo jardim paisagístico.

3 casas modernas portuguesas para inspirar-se

Em Portugal, há belíssimas moradias criadas por famosos arquitetos cujo projeto possui algumas das características que citamos acima. Abaixo, conheça essas habitações.

Casa Santa Isabel

Indicada a prémios de arquitetura, esta casa foi criada pelo arquitecto português Ricardo Bak Gordon em 2010. Além das linhas, destaca-se o uso do betão e as grandes janelas que, mais do que luz, dá vista ao pátio com piscina.

Casa Namu

Casa Namu, [i]da arquitectos

 Com projeto do [i]da arquitectos, a Casa Namu apresenta uma excelente integração entre a sua estrutura e a paisagem envolvente que, acima de tudo, leva muita luz solar para a parte interna da casa. 

Casa Herdade da Aroeira 

Igualmente à Casa Namu, procurou-se no projeto da Bica Arquitectos a integração entre a casa de 2 andares e a paisagem de pinheiros. 

REAL ESTATE – Saiba tudo acerca deste conceito

Estamos cientes de que há certos tópicos e palavras complicadas que de certeza já leu em alguns artigos mas nunca soube verdadeiramente o seu significado. Não se preocupe, a Housefy ajuda-o! Nós vamos explicar-lhe tudo relacionado com a compra e venda de uma casa. Queremos que você esteja a par de tudo o que acontece no setor imobiliário. Veja agora o que é o real estate.

O que significa Real Estate?

Certamente esta palavra soa familiar. A origem da palavra provem do termo anglo-saxónico “propriedade real” e faz referência a uma propriedade ou um bem físico adquirido. Embora a tradução literal de “propriedade real” não é uma palavra que usamos todos os dias, é o mesmo que dizer “imóveis” ou “bens imobiliários”. Os países de língua inglesa utilizam a palavra real estate para referir o mercado imobiliário.

Agora vai dizer: como é fácil, certo? Sim, realmente é um termo bastante popular a nível global. Contudo, se der uma olhada em jornais de referência internacionais como o The New York Times ou o The Wall Street Journal, você verá que possuem uma secção de real estate. Aliás, em Portugal, seria o mesmo que a secção de imóveis em jornais como o Jornal de Notícias, o Expresso, Diário de Notícias ou o Correio da Manhã.

Questionário Final

3 perguntas simples para testar a sua atenção

Real Estate é o mesmo que dizer:

  • Estado Real
  • Setor imobiliário
  • Boas raízes

Possui uma secção dedicada ao real state:

  • Revista Cuore
  • Programa First Dates
  • The New York Times

As agências imobiliárias são:

  • Empresas de publicidade
  • Agências imobiliárias
  • Agências de Viagens

Assim, se algum dia se deparar com palavras relacionadas com imobiliário e não souber o seu significado, não hesite em enviá-las para nós! Vamos comentar o mais rapidamente possível e publicar a sua definição num próximo artigo.

As casas de luxo mais belas em Portugal

Neste artigo, decidimos partilhar consigo as mais belas casas construídas por arquitetos portugueses. Quando falamos em casas de luxo, o céu é o limite! Por isso, a BBC visitou Portugal de Norte a Sul e encontrou propriedades de cortar a respiração. Desde casas com piscina a cobrir um teto transparente, imóveis inspirados em dunas, com aspeto de serpente até vistas panorâmicas de sonho.

O programa Dentro das Casas Mais Extraordinárias do Mundo,conduzido pelo arquiteto Piers Taylor e a atriz Caroline Quentin, apresentou a segunda temporada em Portugal. O 2º episódio, disponível na Netflix , é dedicado, sobretudo, à arquitetura e procura as casas mais arrebatadoras de cada país.

The Wall House – Cascais

“Estar numa casa como esta é, sem dúvida, um dos maiores privilégios na minha vida”, afirma Caroline Quentin.

O projeto da casa pertence ao atelier de arquitetura Guedes Cruz, onde o protagonista é, sem dúvida, a água. Um dos aspetos mais curiosos desta casa de luxo são as paredes que a rodeiam. Entre madeira, cimento e vidro, possuem a característica de serem móveis e podem ser deslocadas através de um simples comando. A ideia é fascinante! Esta construção tecnológica foi pensada para abrir a casa no Verão de forma a arejar e fechá-la durante o Inverno para proteger dos ventos frios do Oceano.
Uma propriedade minimalista, inovadora e com uma elegância única. Permite formar passagens, criar recantos e expandir a casa para o jardim e o campo de golfe.

Casa na Gateira, Penela

Concebida pelo atelier de arquitetura Camarim, esta propriedade possui uma fisionomia de serpente a descer o planalto. O seu interior, coberto com paredes de cortiça a contrastar com a pureza do branco das divisões, simboliza, uma vez mais, o minimalismo rodeado pela imensidão da natureza.
Além disso, o seu exterior mistura a cor do ferro com a rocha entalhada, bastante típica de região.

Casa Monte, Grândola

Projetada pelo arquiteto Luís Pereira Miguel, esta casa de luxo situa-se numa zona entre dunas e pinheiros, perto da Comporta. A envolvência do local, permite que a sua fisionomia, em formato de X, se misture com a natureza. O seu telhado foi pensado em criar a ilusão de uma duna e, portanto, conta com duas dunas artificiais.
Uma casa discreta e romântica situada no meio da natureza alentejana.

Casa Gerês, Parque Nacional da Peneda Gerês

casa do gerês, projeto do atelier Carvalho Araújo

A casa, situada no meio do Parque Natural Peneda Gerês, conta com as majestosas paisagens que a serra oferece. O dono da casa, José Ferreira, construiu a sua casa de sonho junto com o atelier Carvalho Araújo. O interior da casa dispõe de uma gigantesca sala com laterais em vidro de modo a aproveitar a belíssima vista pitoresca. Além disso, a sua construção em ferro, vidro e madeira, incorpora um estilo rudimentar que nos envolve num ambiente bastante acolhedor.
A parte exterior da casa é igualmente soberba. Possui uma cascata natural que abastece a piscina, adaptada ao seu meio envolvente.

Ao vislumbrar estas casas de luxo, conseguimos perceber a importância de um arquiteto, no que diz respeito a construir a casa dos nossos sonhos. É certo que acrescenta um valor extra ao custo do imóvel, no entanto, um toque profissional e a atenção focada nos detalhes, fazem verdadeiramente a diferença numa casa. Por isso, contratar um arquiteto tem um preço mas sem dúvida que compensa e, além do mais, atualmente existe já várias formas de construção sustentável, como forma de reduzir o impacto ambiental e de poupar ainda na sua carteira.